CNBB formata projeto com TV Aparecida

O portal da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresentou novo layout na sexta-feira, 04 de setembro de 2020. No mesmo dia, publicou uma entrevista com o bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, destacando o novo momento por qual passa a comunicação da Igreja no Brasil.

Inicialmente, dom Joaquim apontou três desafios para a comunicação da Igreja no Brasil. O primeiro “é entender a comunicação como um elemento estratégico na evangelização”. O segundo desafio “é o mundo digital, compreender suas ferramentas e estratégias e exercê-las com competência”. Já o terceiro ponto “é assumir o ambiente da redes sociais como espaços de evangelização”. Sobre os projetos em curso para melhorar a comunicação da CNBB e a comunicação da Igreja no Brasil, o bispo pontuou a atuação das mídias católicas, destacando o protagonismo da TV Aparecida:

“Tanto as tvs quanto as rádios católicas que estão organizadas na Signis Brasil e na Rede Católica de Rádios (RCR), bem como os impressos e a internet e redes sociais, fazem um bem muito grande à evangelização. Mas podem, como nós sempre devemos nos sentir pequenos que somos, ter a consciência de que podem fazer muito mais. Estamos num momento interessante de articulação das tvs, o que supõe discutir, aprofundar, às vezes discordar, mas sempre muito unidos na comunhão a serviço da Igreja. Destaco também algo que está acontecendo mais especificamente com a TV Aparecida porque ela pertence ao Santuário Nacional que por sua vez, estatuariamente, pertence à CNBB. A ideia é que a TV Aparecida vá se caracterizando como a TV da Igreja no Brasil. Isto tem sido muito bom, feito de maneira muita tranquila e em diálogo com a equipe de Aparecida (SP), um grupo de pessoas fantásticas muito comprometidas e envolvidas. Estamos, inclusive, formatando um programa diário na TV Aparecida, de cerca de 15 minutos, de modo a expressar muito bem tudo que está acontecendo dentro da Igreja com uma dinâmica bastante interessante”.

Clique aqui para acessar a íntegra da entrevista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *