Prisão do ex-assessor parlamentar

A prisão do ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz deve ter fornecido uma grande pauta para os principais órgãos de imprensa nas últimas 24 horas. Algumas mídias pareciam estar com tudo no gatilho. Foi só disparar. Já nas redes sociais, muitos “entendedores de política” arriscaram seus palpites, apostas ou sei lá como qualificar os comentários que surgem. Parece que nenhum outro assunto mereceu tamanho destaque. Talvez, até a saída do ministro da Educação com um caloroso abraço tenha ficado em segundo plano.

O fato é que o fantasma ressurgiu em Atibaia, cidade que também já serviu de cenário para outros momentos políticos bem interessantes, mas que envergonham a política brasileira. A única pessoa a fazer pequena referência à assombração de ontem deve ter sido o presidente da República que chamou a ação de espetaculosa. É provável que a torcida contra o atual governo esteja vibrando com o ocorrido, vendo aí a oportunidade para alimentar um desgaste da família Bolsonaro junto à opinião pública; enquanto simpatizantes cruzam os dedos na expectativa de que essa turbulência não atinja a região nuclear do Poder Executivo.

Mas convenhamos: a situação é extremamente grave, muito delicada: estamos com problemas crônicos de Saúde como Sarampo, Dengue, agravados com a pandemia da Covid-19 com milhares de vidas ceifadas, desencadeando uma crise ainda não contornada e nem sabemos como sairemos dela; a altíssima produção de falsas informações que circulam de maneira acelerada entre as pessoas dos mais diversos níveis econômicos e intelectuais, reforçando ainda mais a extinção do bom senso; tem ainda o crescente discurso da intolerância, sufocando toda e qualquer possibilidade de diálogo.

No meu entendimento, respeitando o seu direito de discordar, desde a reeleição de Dilma Rousseff, em 2014, temos presenciado uma politicagem com nível tão baixo que só reforçam ideologias estomacais. Políticos sensatos, prudentes, atentos às demandas nacionais parecem artigos de luxo. Onde encontrá-los? Naquela turma do passado? Nessa turma de hoje? Onde estão? Sobre a prisão de Fabrício Queiroz, ela foi executada pelo Departamento de Operações Policiais Estratégicas. Aguardemos as próximas cenas.

Foto: Polícia Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *