Governo Zema quer fechar Inconfidência AM

O governo Zema vai acabar com a Rádio Inconfidência AM e demitir trabalhadores concursados. A lista de demissões já está pronta. Quase um terço dos servidores vai ser demitido. O clima é de tristeza e revolta na empresa.

O Sindicato informa que vai tomar todas as medidas legais para reverter essas demissões. Vai também atuar politicamente, por meio de audiências públicas e manifestações, para impedir o desmonte da emissora pública mineira.

A decisão mostra o desinteresse do governo pela comunicação pública e o desprezo pelos direitos dos servidores públicos. No começo do mês passado, ele cortou drasticamente o custeio da rádio, pondo em risco seu funcionamento.

Nesta sexta-feira, 05 de abril de 2019, o comando da rádio chamou duas reuniões com os funcionários, às 11h e às 15h. Não sabemos se os cortes já serão anunciados hoje, pois não foram abertos processos administrativos para as demissões dos concursados.

Já foi anunciado que haverá cortes, que eles serão feitos por meio de processos administrativos e que tudo será feito dentro da legalidade. O governo deve alegar estouro dos limites com pessoal para proceder às demissões. No entanto, a lei determina que os concursados sejam os últimos a ser demitidos.

É o inicio do desmonte também da Rádio Inconfidência FM. O governo Zema deu à emissora prazo até 2020 para ser autossustentável e faturar R$ 3 milhões por ano. Caso a situação financeira, considerada critica, não seja revertida até lá, a rádio ser fechada.

Um dossiê que faz alegações técnicas para o fim do Inconfidência AM foi entregue pela direção anterior da emissora.

A Rádio Inconfidência AM é mais antiga rádio mineira em operação. Foi fundada há quase 83 anos, no dia 3 de setembro de 1936. Denominada “gigante do ar” e “patrimônio dos mineiros”, teve e continua tendo função essencial na comunicação pública em Minas Gerais.

Jornalistas de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *