Opinião: Oportunidade de fazer a diferença

O segundo mês do ano está ainda no seu começo e alguns fatos, bem explorados pela mídia, causam certa preocupação. Um desses fatos foi a eleição do novo presidente do Senado, que começou na sexta e só concluiu no sábado à noite, em meio a tantos desentendimentos e até a necessidade de uma segunda votação por conta de votos além da quantidade de votantes. São esses os representantes que os brasileiros escolheram em outubro do ano passado? A oportunidade de o cidadão brasileiro ajudar a reescrever a trajetória política do país parece ter sido pouco explorada, ou seja, parece que estamos andando em círculos viciosos e contaminantes. Outro fato que também chama a atenção tem a ver com o rompimento da barragem de Brumadinho. Em uma realidade, marcada por perdas irreparáveis, um homem tentou obter doação de 100 mil reais da mineradora, alegando que a esposa e filha estavam entre as vítimas do desastre com a barragem. Utilizou documentos falsos. Felizmente, a polícia mineira conseguiu deter o oportunista. Mas o que o fato do homem tentar receber doação indevida tem a ver com eleição da presidência do Senado? Acredito que a relação pode ser estabelecida a partir do momento que a nós, cidadãos comuns, é dado do direito de indicar pistas para um país mais decente. Para que isso se efetive de verdade, atitudes básicas do cotidiano precisam ser éticas e morais. Do que adianta gritar por mudanças, se gestos simples não cooperam para isso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *